terça-feira, 21 de setembro de 2010

Garantias e Consumos


Garantias e Consumo

Vamos dar alguma informação sobre a garantia dos produtos que adquirimos.Poucos são os consumidores que, por um motivo ou outro, nunca tiveram uma reclamação a fazer. Um mal entendido, uma falha de um vendedor ou o mal atendimento de alguns serviços são motivos bastante comuns para uma reclamação.

O certo é que todos nós, mais do que uma vez, sentimos aquela vontade de mandar tudo para o alto e apresentar queixa, reclamar, chamar a atenção para esta ou aquela falha.Hoje vamos dar-lhe alguma informação sobre a garantia dos produtos que adquirimos. Sabia, por exemplo, que os bens móveis, na grande maioria, têm uma garantia de pelo menos 2 anos? Excepto os bens de consumo e os bens de desgaste rápido, todos os outros têm obrigatoriamente essa garantia.Assim, até as roupas que compramos em promoções podem e devem ser trocadas, caso se encontrem com algum defeito de fabrico ou não preencham os requisitos mínimos de qualidade.

Na época de saldos, por exemplo, é muito frequente vermos a expressão: "Não efectuamos trocas". Esta é uma situação ilegal, já que todos os produtos disponíveis para venda têm de ser trocados caso apresentem defeito.Quem compra um electrodoméstico, por exemplo, deve exigir o recibo e a garantia. Estes dois documentos são extremamente importantes para accionar dois direitos do consumidor: a garantia legal e a garantia contratual.A garantia legal é o período de tempo mínimo para o bom funcionamento do produto. É fixada por lei, geralmente, por um período de um ano.

A garantia contratual é a que é apresentada pelo fornecedor.Quando o certificado de garantia, fornecido pelo vendedor, refere um período inferior a um ano, a garantia legal continua a ser válida.A garantia contratual pode ser vantajosa para o consumidor, nos casos em que é feito um acordo com o fornecedor, no sentido de a garantia contratual ser superior à estipulada por lei.

Por fim, ficam algumas dicas para se poder defender:
* Guarde sempre a factura e/ou o recibo da compra do produto, pelo menos durante um ano (garantia legal); * Ao comprar um produto, verifique se é necessário carimbar o certificado de garantia para o tornar válido; * Leia sempre o manual antes da primeira utilização dos produtos: desta forma, não corre o risco de proceder de forma a invalidar a garantia; * Antes de efectuar a compra observe bem o produto, para ver se este se encontra em condições, isto é, se não apresenta nenhum defeito; * Assim que efectuar a compra, depois de ler o manual, deve pôr o produto a funcionar. Não deve esquecer que dispõe de 30 dias para apresentar a reclamação, após verificar a anomalia.



1. Qual o significado da reclamação para a empresa?


2. Já alguma vez fizeste uma reclamação? (Se a resposta for afirmativa, explica porque a fizeste)

6 comentários:

anaraquelinha disse...

As reclamações são de uma importância significativa para as relações positivas entre cliente e empresa, sendo através delas que se
consegue descobrir as falhas em áreas ou sectores que precisam
melhorar e muitas vezes não são percebidas dentro da própria
empresa. Conscientes dos erros e corrigidos rapidamente, a empresa
ganha uma grande oportunidade para conquistar a fidelidade de um cliente, pois este passa a confiar nela. Além do mais, o cliente está a prestar uma informação valiosa, dando-lhe uma nova oportunidade para melhorar, a qual não pode ser desperdiçada, já que são muito poucos os clientes insatisfeitos que reclamam, permanecendo a maioria sem o fazer mas optando por novas alternativas em empresas mais comprometidas.

anaraquelinha disse...

Já fiz uma reclamação porque quando estava na caixa para efectuar o pagamento de um livro, o preço que me pediram não correspondia ao que estava marcado.

andreguerrinha disse...

Fiz uma reclamação porque comprei, numa loja, uma camisola e quando cheguei a casa vi que ela tinha um buraco na manga.

alexandrepereira disse...

Há dias fui com um amigo a um supermercado e comprei um pacote de bolachas e uma lata de coca cola. Fiz as contas antes de chegar à caixa porque tinha pouco dinheiro. Quando fui para pagar, o valor que me pediram não correspondia às minhas contas. Após verificação da factura, eu disse que o preço na prateleira não era o que estava a ser registado, era mais barato.
Nesta situação, se o cliente quiser, paga o primeiro preço.

Alice disse...

Alexandre! É verdade o que estás a afirmar. O cliente pagará o preço que está afixado.

Alice disse...

André!
Claro que agiste muito bem. O artigo que tinhas comprado tinha um defeito e esse é motivo suficiente para efectuares uma reclamação.